segunda-feira, setembro 18, 2006

Coisas da distância - D´Ela

Apaga-me os olhos, ainda posso ver-te.
Tranca-me os ouvidos, ainda posso ouvir-te,
e sem pés posso ainda ir para ti,
e sem boca posso ainda invocar-te.
Quebra-me os ossos, e posso apertar-te
com o coração como com a mão,
tapa-me o coração, e o cérebro baterá,
e se me deitares fogo ao cérebro,
hei-de continuar a trazer-te no sangue.
R.M.Rilke

5 Comentários:

Às 18 setembro, 2006 11:45, Blogger maria borboleta disse...

Lindo! O poema, e o teu amor por ela... E' magico!

 
Às 18 setembro, 2006 23:42, Anonymous papoila disse...

Vê se voltas rápido...

 
Às 19 setembro, 2006 08:37, Blogger Arroz de Estragão disse...

Maria: It should be!..

 
Às 19 setembro, 2006 08:37, Blogger Arroz de Estragão disse...

Papoila: quando voltar, aterro em ti...

 
Às 19 setembro, 2006 09:17, Blogger HHAAAADD disse...

Muito bonito jovem!!! É bom e sabe tão bem ler uma coisa destas logo pl manha....

 

Enviar um comentário

<< Home