terça-feira, maio 02, 2006

Coisas da Impotência V

Image Hosted by ImageShack.us
O silêncio e a quietude despertaram-me o olfacto. Pedia que deixassem a janela do quarto aberta, mesmo quando chovia; era assim que os odores variavam em meu redor - era assim que eu cheirava as passagens das Estações.

Nunca vos aconteceu? Vir de súbito um odor que há muito se aloja na nossa memória, mas há muito que não acontece. E saber exactamente que odor é - ser inconfundível - e o não conseguirmos dar-lhe um nome, porque apesar da doçura da lembrança, não nos ocorre o sítio, a coisa, o tempo, a pessoa de onde ele vem.

Mais uma vez, era este mais um daqueles miasmas que me faziam sentir movimento - voar.

10 Comentários:

Às 02 maio, 2006 23:43, Blogger Kid_D disse...

É a primeira vez que venho aqui.
Parabéns, tens aqui uma coisa boa.



boiaodecultura.blogspot.com

 
Às 03 maio, 2006 00:02, Blogger Arroz de Estragão disse...

Obrigado pela visita e pelo elogio.

As portas estão sempre abertas.

PS: também gostei do vosso.

 
Às 03 maio, 2006 21:31, Blogger Joanmirovic disse...

É como voltar aos sítios onde cheiramos esses odores, e quando nos lembramos até temos saudades.

 
Às 04 maio, 2006 13:42, Blogger Arroz de Estragão disse...

Sim, é como lá voltar - o sítio ser-nos totalmente familiar e, no entanto, continuamos sem saber onde estamos!

E está tão na ponta da língua...

 
Às 04 maio, 2006 15:49, Blogger musalia disse...

como 'la madelaine temprée dans le thé'...:)

bj.

 
Às 06 maio, 2006 11:53, Blogger Arroz de Estragão disse...

Olá Musália! É bom ver-te por aqui:)

Talvez seja uma lacuna gravíssima da minha parte, mas não entendi :\

 
Às 08 maio, 2006 17:56, Blogger musalia disse...

qual falta, qual quê! eu é só disse metade do que o teu texto me despertou...lembrei-me de Proust e do efeito que os cheiros e os gestos provocavam fazendo-lhe reviver memórias passadas. lembras-te, decerto, o bolo mergulhado na chávena de chá recordavam-lhe a mãe...
apenas isso :)
beijos.

 
Às 08 maio, 2006 18:02, Blogger Arroz de Estragão disse...

Juro-te que creio que nunca li Proust...

Mas é bonito, e fica registado:)

Beijos

 
Às 08 maio, 2006 21:17, Anonymous Anónimo disse...

E uma bufa tresmalhada?

 
Às 08 maio, 2006 21:56, Blogger Arroz de Estragão disse...

Anonymous: já vi que para ti é fácil voar. Ainda Bem!

 

Enviar um comentário

<< Home