sexta-feira, junho 17, 2005

Coisas no Sótão

Estava no sótão empoeirado, sentada numa cadeira de baloiço a desencantar as memórias do passado.
Estava povoada de recordações, todos os dias as rugas que observava ao espelho o comprovavam. Encontrou um papel amarrotado, abriu-o com curiosidade:

« Vai-te embora ó solidão!
Mas antes de ires, povoa-me o coração com a recordação eterna de uma vida bem vivida, e assim não me deixas só!»


Leu, voltou a amarrotar o papel, colocou onde estava, levantou-se devagarinho, e arrastando as pernas trôpegas voltou para a sala, mas agora com um sorriso nos lábios.


Fotografia: Elena Getzieh

4 Comentários:

Às 17 junho, 2005 19:10, Blogger Arroz de Estragão disse...

Muito bonito e apropriado :)

Exorcizas-te a ti aos teus semelhantes!

É assim forte que gosto de te ver; força!

 
Às 19 junho, 2005 15:12, Blogger o_correspondente disse...

se eu nao fosse quem sou, ate era capaz de me apaixonar por alguem que escreve assim...

 
Às 19 junho, 2005 22:15, Blogger maria borboleta disse...

:) sinto-me a ruborizar... beijo

 
Às 20 junho, 2005 14:53, Anonymous m'A disse...

ora aí está!
que categoria.
beijos orgulhosos num dia de penosa saudade.
Há 'coisas' assim

 

Enviar um comentário

<< Home