sábado, fevereiro 12, 2005

Coisas da Comunicação – o tamanho do que se diz

Ás vezes, calo-me, e ouço com prazer; outras vezes, converso, pontuadamente; outras vezes, tenho que falar muito para perceber onde quero chegar. Não se trata de falta de síntese, é antes aquilo que mais me fascina na comunicação – o balanço entre a robustez de espírito e a sensata ausência de pragmática.

Não gosto quando não me deixam falar até ao fim. Prefiro mesmo ficar calado...

Saber ser ouvido é uma arte; como aquela do saber ouvir.

Também já tive excelentes momentos de mútuo silêncio, que me fazem lembrar o sublime final de Straight Story; mas esta é já outra história...


Foto de Barbara Mensch.

4 Comentários:

Às 12 fevereiro, 2005 10:55, Blogger musalia disse...

percebermos que o que dizemos é recebido e respondido...

 
Às 12 fevereiro, 2005 14:08, Blogger maria borboleta disse...

prometo que vou me esforçar para não te interromper tantas vezes :)

 
Às 12 fevereiro, 2005 17:04, Blogger Arroz de Estragão disse...

musalia: é bom quando isso acontece; e, apesar de (geralmente) falarmos com tanta gente ao longo do dia, há tão poucas palavras que são absorvidas como desejaríamos que fossem...
É ingrata a comunicação. "Comunicar" é já fazê-lo menos.

maria: não me interrompes assim tanto :-)

 
Às 12 fevereiro, 2005 17:04, Blogger Arroz de Estragão disse...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

 

Enviar um comentário

<< Home